Nenhum Comentário

A virtualização é uma tecnologia de TI que vem sendo cada vez mais adotada no desenvolvimento de sistemas de automação.

Uma máquina virtual (Virtual Machine – VM) pode ser definida como “uma duplicata eficiente e isolada de uma máquina real”. É como uma cópia isolada de um sistema físico que está totalmente protegida, geralmente por uma estrutura de TI, com servidores físicos e unidades de armazenamento redundantes. Basicamente, uma VM é como um “computador dentro de computador”, sendo este último um servidor com alta capacidade de processamento e memória, essenciais para suportar essa aplicação.

Para essa arquitetura, basicamente é necessário instalar um software específico na máquina física e, a partir deste software, criar um ou vários discos virtuais, onde poderão ser instalados os sistemas operacionais e aplicativos.

Esta possibilidade de rodar outros sistemas operacionais dentro de uma máquina física com acesso a outros softwares instalados dentro da própria máquina virtual é uma grande vantagem no dia a dia, pois cria-se um sistema que desvincula o hardware físico do software e a incompatibilidade entre aplicativos e sistemas operacionais é eliminada. Outra grande vantagem dessa arquitetura é a extrema rapidez na recuperação dos sistemas em caso de falhas e perdas, uma vez que as VM’s são “arquivos gerenciáveis” e backups podem ser realizados e/ou programados.

 

A Virtualização possibilita uma arquitetura onde é possível executar diversos sistemas sem que seja necessário executá-los nos computadores de trabalho (Workstations). Todo o processamento e consumo de recursos das aplicações é realizado pelo servidor físico, e não mais nas workstations, o que permite que estas possam ser máquinas mais simples, ou até mesmo apenas “monitores”, também conhecidos como ThinClient, acessando o servidor e utilizando os sistemas de forma remota.

 

Seja local ou na ‘nuvem’, a virtualização de sistemas traz inúmeros benefícios para operação e manutenção em todos os segmentos da indústria.

 Benefícios da Virtualização de Aplicações

  • Redução de custos: redução dos custos operacionais e investimento em hardware, já que com a virtualização de aplicativos, temos a possibilidade de redução do número de computadores devido ao fato de rodarmos múltiplas aplicações em um mesmo servidor. A redução da quantidade de ativos da empresa, por consequência, faz cair também os custos de manutenção. Adicionalmente, podemos considerar a redução de espaço físico e ainda a diminuição do consumo de energia elétrica.
  • Redução dos problemas com compatibilidade de hardware e software: a virtualização torna possível rodar aplicações novas em máquinas consideradas “velhas”. Ou, o inverso, permite a atualização de hardware sem que haja impacto em softwares mais antigos em uso. Quem nunca se deparou com a incompatibilidade de um aplicativo com outro ou com o sistema operacional de uma máquina? Virtualizando os aplicativos isso é facilmente resolvido, pois ele será instalado em um servidor virtual e não em um computador físico, o que elimina os problemas de compatibilidade.

 

  • A cópia ou transferência de uma VM entre computadores é simples, pois não há a necessidade de reinstalação do sistema operacional e softwares necessários ao retorno ao funcionamento. Basta copiar a VM de um servidor para outro. No caso de pane no servidor físico, o restabelecimento do sistema também é muito rápido, desde que haja backup da VM a ser restaurada em um novo servidor. Esta facilidade aumenta a disponibilidade do sistema e, por consequência, a produtividade. Muitas vezes, a recuperação de um servidor de dados pode levar até mais de um dia de trabalho.

                   

 

  • Maior segurança e confiabilidade: capacidade de trabalhar com seu ambiente em HA (High Availability), esta tecnologia nos traz a possibilidade de trabalhar com aplicações em servidores rodando em cluster, ou seja, você terá proteção contra falha física de seu servidor em caso de desastres, tendo uma disponibilidade de 100% de sua aplicação.
  • Virtualização é uma tecnologia mais sustentável, a chamada Green Technology, uma vez que ao se adquirir menos equipamentos, no final de sua vida útil, serão menos materiais tóxicos a serem descartados para o meio ambiente.

Como nem tudo é perfeito, em contrapartida a virtualização ainda possui um custo considerável, devido à necessidade de hardwares “potentes’, geralmente servidores específicos com alta capacidade de processamento, e equipamentos auxiliares, principalmente em arquiteturas de grande porte. Contudo, com a popularização dessa tecnologia, encontramos cada vez mais comum encontrarmos arquiteturas mais simplificadas e otimizadas para pequenas e médias aplicações, e assim aos poucos na redução dos custos de implementação.

Virtualização em Nuvem

Como a implementação dessas arquiteturas virtualizadas muita das vezes são complexas e exigem um conhecimento específico na área, a virtualização em nuvem existe como uma alternativa, atraindo cada vez mais adeptos. Mas esse assunto ficará para uma próxima discussão por aqui.

Virtualização já é uma realidade

Existem no mercado diversos softwares de virtualização, como por exemplo: Vmware, Citrix, Microsoft Hyper-V. O Vmware destaca-se como a solução mais utilizada nas indústrias usuárias desta tecnologia. Uma das principais vantagens do Vmware é que é muito leve, ocupando pouca memória no HD da máquina.  

A virtualização já deixou de ser uma tendência e hoje é uma realidade no mundo corporativo. A Yukon tem utilizado esta tecnologia em projetos de automação recentes. Os clientes entendem ser esta uma boa estratégia para aumentar as taxas de produtividade e facilidade de manutenção e intervenção nos sistemas. Para saber mais, clique aqui e entre em nosso blog, ou se tiver alguma dúvida entre em contato com a gente!